quinta-feira, 16 de abril de 2009

Panic! at the minimarket disco Pt.1

011100110110010100100000011101000110100101110110011001010111001101110100011
001010010000001110000011000010110001101101001011001010110111001100011011010
010110000100100000011100000110000101110010011000010010000001110110011010010
111001000100000011001000110010101110011011000110110111101100100011010010110
011001101001011000110110000101110010001000000110100101110011011101000110111
100100000011001010111001100100000011011110010100001100001001010010010000001
101101011000010110100101101111011100100010000001101111011000100111001001101
001011001110110000101100100011011110010000001110000011001010110110001101111
001000000110100101101110011101000110010101110010011001010111001101110011011
001010010000001101110011011110010000001100111011000010110101001101111

Ah, desculpem-me, agora que sou super-hiper-mega inteligente penso em binário.

Ajuda a bloquear mind-readers!

Vou continuar, desta vez em ASCII:

Num dia bastante solarengo, estavam O Gajo e o Rökiloy numa esplanada, a apanhar sol.

O dia tinha tudo para ser perfeito: a temperatura estava quente, não havia nuvens nem vestígios destas, o céu estava azul, excepto na área onde está o sol, que por acaso estava bastante brilhante. Parecia que alguém muito poderoso estava a olhar para mim, e eu tinha que baixar a cabeça.

Além disso, estava também muito sol.

Considerando o sol que estava, estava MUITO sol.

Resumindo, o dia prometia bastante, sabe-se lá de quê.

Dirigi-me ao encontro dos meus amigos, sem saber o que iria encontrar pelo caminho.

Chegando ao pé deles apercebi-me que não se passou nada de especial durante o caminho, afinal o dia pode não ser tão promissor quanto isso.

- Hey, Gajo, Röki, como estamos hoje?

- Yo Narrador, 'tá-se bem, e contigo?

- Comigo tudo em cima, já sabes como sou.

- Sim, sim, já todos sabemos como és, agora senta-te que estás a fazer-nos parecer pessoas cultas a não querer comprar pensos de um cigano.

- Tens alguma coisa contra ciganos? Nunca pensei que fosses de estigmatizar pessoal, Gajo.

- Estigmatizar? Olá..estás mais inteligente do que o normal!

- É um facto...podes comparar-me a Deus, se ele existisse, claro...Mas não vou começar a responder às perguntas sem resposta que existem, seria de muito mau gosto.

- Vocês são uma seca, iam era gostar de ver eu a brincar ao parkour!

- Só se fosse a tua mãe, a fazer powerslide no meu corrimão!

- Haha, foste grande Gajo, nem com toda a minha super inteligência conseguia fazer uma piada dessas.

- Eu SOU grande, e acho bem que te ponhas no teu lugar, comparações entre ti e Deus têm que passar antes por mim.

- 011100000110000101101110011001010110110001100101011010010111001001101111

- Não vale a pena chamares-me nomes em binário, eu consigo ver que disseste cenas más pela tua expressão facial.

- Narrador, não precisas de beber nada? É que dizer esses números todos durante 2 minutos deve cansar.

Entretanto, a afável conversa é interrompida pelo toque dos pagers pessoais dos 3 amigos. Normalmente tocam em caso de desafio proposto pelo Grande Mestre Shigusi, ou outro tipo de treino manhoso.

"Meux carux pupilux, keruh k extejam nu minimercaduh daki a 20 minutx. venham preparadx para a axãum, pk é poxivel aver eventux maux"

Após 10 minutos na descodificação da mensagem, Rökiloy pergunta:

- Epá, porque é que ele escreve assim?

- És mesmo mentecapto, Röki...Faz parte da arte da sedução, tens que agir como a presa para conseguires captar a sua atenção e interesse. O Mestre Shigusi já está tão habituado a usar este dialecto ancestral que as mulheres gostam que já lhe está entranhado no cérebro.

- É quase isso, Narrador, mas esqueces-te de algo. Uma coisa é a teoria, outra é a prática, e cada mulher é reage de forma diferente à mesma situação. Ninguém pode prever se ela vai gostar ou estrebuchar. Ninguém excepto eu!

- Assim o parece, Gajo.

- Ei pessoal, e que tal irmos brincar ao parkour até ao minimercado?

- Talvez fosse fofinho!

O Gajo responde com um facepalm e com a sua calma do costume começa o seu caminho, atrás do Narrador e do Rökiloy, que entretanto estavam a correr pelas paredes e a trepar postes, como uma stripper depois de misturar red-bull e ecstasy.

1 comentário:

igor marques disse...

se tiveste paciencia para vir descodificar isto es o(a) maior obrigado pelo interesse no gajode nada.


a temperatura ou está elevada ou baixa, agora quente? ...


...


mal posso esperar pela parte 2, em que alguém vai(s) estudar genómica... ;)